RandomBlog
terça-feira, maio 17, 2005
 
O Partido e o Povo
A propósito ainda do aniversário da vitória, celebrando em 8 de Maio, os 60 anos sobre a esmagadora derrota infligida ao nazi-fascismo pelas tropas soviéticas que entraram em Berlim no final de uma longa marcha libertadora, a que se associaram à pressa os americanos, enviados sobretudo para travar o passo ao Exército Vermelho e arrecadar o bolo da Europa Ocidental, vale sempre a pena repetir que a história tem sido persistentemente mal escrita. Ou tem sido reescrita. Ou apagada. Ou transtornada. Primeiro, do lado de cá do mundo, que continuou a ser dominado pelo capitalismo. Desde há década e meia, também do lado de lá, após a derrota da União Soviética e do colapso do campo socialista. Se para o cidadão comum ocidental, tudo se resolveu no determinado dia D, com Eisenhower a comandar um desembarque e Patton aos tiros de revólver a desbaratar alemães nos pinhais da Itália, para muitos outros, menos ignorantes e menos permeáveis à ideologia dominante, não passou despercebido o contributo decisivo do povo soviético - o sacrifício de milhões de vidas e a heroicidade da resistência ao invasor - para extirpar do mundo o terror nazi.E também não passou historicamente despercebido que, para organizar e dar um rumo a essa resistência, uma direcção e um profundo ânimo ao avanço para ocidente, derrotando exércitos bem armados, enquadrados por fanáticos do terror, foi necessário um Partido profundamente ligado ao povo e às massas, que avançasse na vanguarda, dando o exemplo e erguendo bem alto as bandeiras da libertação e da justiça. E ainda que esse Partido teria de ter a orientá-lo uma direcção coesa e profundamente empenhada em salvar a pátria e o socialismo a construir-se. Surge assim, naturalmente, a figura de Stáline, que não pode ser isolada dos outros dirigentes, tal como o PCUS não podia encontrar-se isolado da vontade dos milhões de soviéticos, comunistas ou não.Mas a história, já se sabe, reescreve-se facilmente. E se, na Rússia de hoje, apesar dos tempos negros que se vivem e da obscuridade lançada desde há muito sobre os factos e os seus significados, voltam a aparecer cidades em que se dá o nome de Stáline a ruas, há logo quem, lá mesmo, venha advertir sobre os «crimes» cometidos ou não pelo revolucionário soviético. Foi o que pressurosamente fez Gorbatchov, que afirma não perdoar e alerta para este sobressalto russo que torna a elogiar Stáline. Diz ele que se não deve a vitória a Stáline. Estaríamos de acordo, se Gorbatchov pretendesse revelar que, para além do dirigente, há o povo. Certamente. O que ele não pode negar é que, se Stáline teve o seu papel na vitória ao lado do povo, Gorbatchov teve o papel principal na derrota do socialismo, acompanhado apenas por arrivistas e traidores de que se rodeou para torpedear a mais brilhante conquista da história da humanidade.
Avante, 12 de Maio de 2005

(por erro meu não publiquei a autoria: Leandro Martins)


Este é um texto de opinião de um militante do PCP que não conheço. A sua opinião não está de acordo com a análise que o PCP tem vindo a fazer das causas da queda dos regimes de Leste. Esta opinião contraria as teses que (julgo a partir do XII Congresso do PCP) têm vindo a ser aprovadas. Julgo que o Avante deve ser o palco privilegiado para a discussão ideológica e como tal julgo de todo o interesse a publicação deste texto, bem como de outros em sentido contrário e que poderão estar mais de acordo com a linha política democraticamente aprovada dentro do partido. Mas que fique claro que esta não é a leitura da história de todos os militantes do PCP nem está de acordo com as Teses aprovadas nos últimos Congressos.
 
Comments:
Very nice site! film editing schools
 
Publicar um comentário

<< Home
Notícias da Resistência | desde Agosto de 2003 m@il | tiagoms3@yahoo.com.br




  • "(...) porque Cavaco simboliza aquilo que mais náuseas me provoca: a banalização de tudo, o sucesso ranhoso e vazio, o atropelo dos valores e das pessoas, o autoritarismo descabelado, a demagogia, o nacional-carreirismo e os favores, a aldrabice e a cunha, a indiferença, o elogio da pirosice, a ignorância e a escandalosa nulidade cultural, etc, etc..."
    Al berto, "NEM MAIS - jornal do movimento de jovens apoiantes incondicionais de sampaio", 1995




    REDE DE BLOGUES ANTI-CAVACO (em criação...)

  • CAVACO FORA DE BELÉM
  • STOP CAVACO
  • HIPER CAVACO
  • O VOTO É A ARMA DO POVO
    Nome:
    Localização: Lisboa, Portugal
    ARQUIVOS
    08/2003 - 09/2003 / 09/2003 - 10/2003 / 10/2003 - 11/2003 / 11/2003 - 12/2003 / 12/2003 - 01/2004 / 01/2004 - 02/2004 / 02/2004 - 03/2004 / 03/2004 - 04/2004 / 04/2004 - 05/2004 / 05/2004 - 06/2004 / 06/2004 - 07/2004 / 07/2004 - 08/2004 / 08/2004 - 09/2004 / 09/2004 - 10/2004 / 10/2004 - 11/2004 / 11/2004 - 12/2004 / 12/2004 - 01/2005 / 01/2005 - 02/2005 / 02/2005 - 03/2005 / 03/2005 - 04/2005 / 04/2005 - 05/2005 / 05/2005 - 06/2005 / 06/2005 - 07/2005 / 07/2005 - 08/2005 / 08/2005 - 09/2005 / 09/2005 - 10/2005 / 10/2005 - 11/2005 / 11/2005 - 12/2005 /




    Powered by Blogger




  • LINKS
  • ÀS DUAS POR TRÊS
  • BERRA BOI
  • DIAS VAGABUNDOS
  • ENTRE SONHOS
  • LA PIPE
  • SPECTRUM
  • TITAML
  • SOCIOCRACIA
  • LES UNS ET LES AUTRES
  • DESCRÉDITO
  • BOAS INTENÇÕES
  • EM ORBITA
  • FILHO DO 25 DE ABRIL
  • TESSITURAS
  • AQUI QUEM FALA SOU EU